Que não nos falte inspiração

Costumo escrever a coluna sempre aos domingos no fim da tarde. Acho esse momento inspirador. É um momento de transição entre a alegria do final de semana de descanso com a família e a ansiedade pela semana que vai começar.

Há quem odeia ver o domingo chegar ao fim, acha que é um momento de melancolia, pois com a semana que desponta vem também trabalho, lutas e preocupações.

Pois bem, não me enquadro neste perfil. Novas possibilidades me mantém viva. Eu gosto de segundas-feiras.

Entretanto, neste domingo foi diferente. Me faltava inspiração. Bati cabeça para escrever este texto de abertura. Faltava algo para dar o start, a fagulha que faz tudo incendiar e torna a velocidade do pensamento tão rápido que mal os dedos no teclado conseguem acompanhar.

Pensei em escrever sobre responsabilidades, me intriga saber que os seres irracionais conseguem sentir o perigo e fugir para bem longe, alertados pelo extinto de sobrevivência, enquanto nós, seres racionais, que temos a capacidade de pensar, acabamos sendo atraídos muitas vezes pelo perigo ao invés de fugir.  Pensei em falar sobre otimismo, algo tão necessário nestes tempos estranhos do novo normal (odeio esse termo). Mas nada despertou em mim a vontade de seguir a diante com estes assuntos.

Ao longe alguém ouvia uma música do Renato Russo que adoro e isso me chamou atenção. Principalmente o texto que diz: “Mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira, mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo…”

Renato Russo em sua genialidade nos falou tantas verdades em formas de versos e por isso até hoje suas músicas continuam atuais e se encaixa em situações de nossas vidas.

Não sabemos tudo como diz a música, ou melhor, não sabemos nada.

Insistimos em acreditar que o outro ou situações externas tem nossas respostas, mas elas estão em nós, mesmo que nos falte força e coragem para admitir.

Buscar descobrir os gatilhos mentais que nos impedem de avançar ao ponto que queremos é uma viagem interior de descobertas. Algumas nem tão divertidas como gostaríamos que fossem, mas necessárias.

Nesta busca não vale mentir para si mesmo. É preciso encarar de frente nossas responsabilidades pelos erros e acertos do caminho. Por isso hoje, meu texto é apenas para te dizer: levanta a cabeça, vista-se de otimismo, a tempestade sempre passa, por mais que demore, ela passa.

Boa semana!  

Boa notícia!

Boa notícia para quem estava morrendo de saudade de puxar um ferro, a maioria das academias reabriram ontem.

No finalzinho da semana passada saiu a publicação no Diário Oficial do Estado liberando a reabertura, claro com uma série de restrições em virtude da Covid-19.

Os espaços não podem receber mais de 30% de sua capacidade, vestiário e banheiros fechados, uso de álcool gel e mascaras por clientes e profissionais, higienização de aparelhos reforçada. Tudo nos conformes!

A responsabilidade também é sua

As empresas estão se prepararam para fazer sua parte, mas nós somos os principais responsáveis por nossa segurança e saúde. Não se esqueça disso! Se você é daqueles que já separou a roupa para ir, fique sempre atento e cumpra as medidas de segurança. Esqueça o bate-papo com o colega no aparelho ao lado e trata de malhar. Outra dica também é não alugar o aparelho enquanto fica no celular. Você só poderá ficar na academia uma hora e os outros também precisam usar os aparelhos, né?!

Péssima notícia!

A nova Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do IBGE, divulgada na sexta-feira, 21, aponta que na última década os hábitos alimentares dos brasileiros vêm mudando de forma gradativa e acentuada.

Mesmo o arroz, o feijão e uma proteína ainda sendo frequentes no prato houve redução no consumo desses alimentos e aumento na ingestão de fast-food. A frequência na ingestão de sanduíches e pizzas cresceu de 10,5% para 17%, enquanto o consumo de arroz, feijão, carnes e frutas caíram em média 10%.

Segundo a pesquisa, os alimentos ultra processados (ricos em carboidratos e acúcares, com baixíssimo valor nutricional) somam cerca de um quinto das calorias consumidas. A maior participação destes alimentos está na alimentação de adolescentes (26,7%), seguido por adultos (19,5%) e menor entre idosos (15,1%).

O que tá rolando na quarentena?

Dia destes eu publiquei aqui na coluna, o trabalho bem interessante desenvolvido por uma turma de profissionais da área da saúde e do esporte, o Wod Home. Pois bem, a partir dele percebi na rede várias iniciativas interessantes de profissionais destas áreas voltados a disseminar uma vida saudável na quarentena.

Diante disso, revolvi estar postando aqui algumas destas iniciativas. Se você tem uma e quer divulga-la é só mandar um direct no instagram (@rachelmoreiraac) ou mandar um email (rachelmoreiracoelho@gmail.com) que vou estar avaliando a publicação.

Emagrecer saudável 

Uma destas ideias interessantes que estou divulgando aqui é a da Educadora física Lu Mesquita (@lu_mesquita). Ela iniciou um projeto na quarentena chamado Emagrecer saudável, onde presta consultoria, juntamente com uma equipe multiciplicinar, a pessoas interessadas a emagrecer através da reeducação alimentar aliada a exercícios físicos.

O projeto vem dando tão certo que já está na décima edição. E tem deixado os adeptos bem felizes com o resultado. Além do programa de exercícios, os alunos têm acompanhamento nutricional e de coaching. A ordem por lá é mudança comportamental. Tá pensando que é brincadeira a coisa?!

Enfermeiros pela PL 2564/2020

Outra coisa que tá rolando na quarenta é o Projeto de Lei n° 2564/2020, que visa estabelecer o piso salarial dos profissionais de Enfermagem. A iniciativa é uma das grandes lutas travadas pela categoria há anos e que ganhou força na pandemia.

A categoria, assim como os demais profissionais de saúde estão se desdobrando para cuidar das vítimas da Covid – 19 e precisam do nosso apoio. O projeto está no Senado Federal para ser analisado e votado.

Na proposta a ser analisada o valor do piso para enfermeiros é de R$ 7.315. Para os técnicos, é de 70% sobre o piso do enfermeiro (R$ 5.120,50) e para auxiliares é de 50% (R$ 3.657,30), todos com base em jornada de trabalho de 30 horas. Acima desta carga horária, terá correspondência proporcional.

Por se tratar de uma PL de interesse para toda a categoria, é possível dar a opinião no site do Senado Federal. A opinião pública é apenas de caráter consultivo e não decisivo, por isso, faz-se necessário que a população incentive e solicite aos parlamentares a aprovação da lei.

Vamos lá?!

PATROCINADORA DO SITE

Publicado por elatem50

Jornalista, advogada, adepta da vida saudável, da prática esportiva. Assina 🗞 Coluna de bem-estar no @jornalopiniao #⃣ #ElaTem50

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: